Para o topo
Farofa Magazine
Farofa Magazine
página inicial » Entrevistas »

Entrevistamos Fernando Reis do festival gastronômico Restaurant Week

11/04/2018

por: Redação Farofa Magazine
Entrevistamos Fernando Reis do festival gastronômico Restaurant Week
Fernando Reis, realizador do evento Restaurant Week. Foto divulgação.

Não é todo dia que dá para sair de casa e almoçar ou jantar em um restaurante fino. Os preços médios gastos por pessoa em uma escapadinha para fora do lar estão cada vez mais salgados. Mas vez ou outra acontece de ter uma promoção ou evento em que conseguimos provar as iguarias que os chefs de cozinha preparam. O evento Restaurant Week, que acontece por todo o país, em 2018 completa 11 anos de festivais gastronômicos. Em mais de 15 cidades e com público imenso e cada vez mais restaurantes cadastrados, a Farofa Magazine entrevistou o realizador do evento, Fernando Reis.

FM: Fernando, o Restaurant Week completou 10 anos em 2017. Como você vê a influência do projeto na cultura gastronômica do Brasil?
FR: A Restaurant Week é o maior festival gastronômico do país e vem ganhando cada vez mais adeptos. O
evento já reuniu mais de 10 milhões de pessoas em mais de 4.000 restaurantes diferentes do país. O que
nós da Mica, organizadora da Restaurant Week Brasil, percebemos é que o evento valoriza a gastronomia
local, incrementa a economia e o turismo das cidades participantes, e tem um impacto positivo nos
negócios. Muitas pessoas aproveitam os menus com preços fixos na companhia da família e amigos e,
muitas vezes, saem de cidades da região para poder conhecer um restaurante. O objetivo deste evento é
proporcionar uma experiência rica e a possibilidade de desfrutar de bons momentos na mesa das melhores
cozinhas da cidade.


FM: A classe média, a classe baixa e a classe alta gostam de uma promoção de comida?
FR: Como as pessoas sabem exatamente o quanto vão pagar em cada refeição – pois o menu do festival tem
preço fixo (no almoço, com entrada, prato principal e sobremesa sai por R$ 43,90 e no jantar, o preço é R$
54,90) – acontece uma grande movimentação dos adeptos do festival para escolher as casas que ainda não
tiveram a oportunidade de conhecer. Quando começa a Restaurant Week, o assunto gastronomia é muito
abordado nas cidades participantes, o que acaba estimulando a curiosidade e o desejo das pessoas de
buscarem novas experiências gastronômicas.
Como as cozinhas são variadas – italiana, americana, francesa, alemã, entre outras – as pessoas sempre
buscam degustar a culinária de um país diferente. O que deixa essa experiência ainda mais gostosa é o
desafio que propomos aos chefs de criar menus exclusivos baseados em um tema. Nesta edição, o tema
será Gastronomia Internacional e os chefs serão convidados a usarem toda a sua criatividade na
composição de pratos elaborados com ingredientes comuns dos 32 países classificados para a Copa do
Mundo.

Prato Restaurante Week. Imagem divulgação


FM: Todo restaurante entende a dinâmica do evento?
FR: O festival tem um padrão e todas as casas participantes são orientadas. Antes do início da Restaurant
Week, há uma reunião técnica na cidade participante, quando todos os restaurantes participam e
conhecem ou se atualizam sobre a dinâmica do evento. Essa reunião serve tanto para mostrar os
resultados da última edição quanto para orientar e tirar dúvidas sobre a próxima edição. Esse encontro é
extremamente importante, pois é nele que entregamos os materiais de divulgação do evento e alinhamos
informações sobre a realização do festival na cidade.


FM: Como é a seleção de quem vai participar?
FR: Nós buscamos restaurantes ou bistrôs que trabalhem com ticket médio superior a R$ 74 e que ofereçam
menus diferenciados e uma boa apresentação tanto do prato quanto da casa. Além disso, quando possível,
selecionamos restaurantes recém-inaugurados, que é uma forma de chamar público novo durante o festival. Durante as três semanas do evento, aumenta-se a circulação de novos clientes nos restaurantes e
muitos passam a fazer parte da clientela da casa. É uma oportunidade de fidelizar público também.

FM: Muitas parcerias são feitas para o evento acontecer?
FR: Em todas as edições contamos com o apoio dos parceiros. A cada edição buscamos uma novidade, seja
uma bebida diferente com um preço acessível para os consumidores que optarem pelo menu da
Restaurant Week ou um brinde para os participantes. Para a 7ª Ribeirão Preto Restaurant Week, que
acontece entre 18 de maio a 10 de junho, vamos divulgar as parcerias nas vésperas do festival.


FM: Quais tecnologias foram adicionadas ao longo dos anos?
FR: Todos os anos, divulgamos a lista de restaurantes, menus e fotos no site do festival –
www.restaurantweek.com.br – e desde a 5ª Ribeirão Preto Restaurant Week disponibilizamos o aplicativo
gratuito Restaurant Week Brasil. Nele, é possível ver todos os restaurantes participantes, menus, horários
de atendimento de cada restaurante, endereço, telefone etc. Quem quer aproveitar o festival, pode
acessar todas essas informações de forma rápida e dinâmica através do celular. A ferramenta está
disponível para os sistemas Android e iOS. Dentre as funcionalidades do aplicativo, destacam-se:
sincronização com a agenda e o sistema de GPS do celular, e a possibilidade de fazer reserva on-line; ou
seja, o usuário pode planejar seu tour gastronômico e salvar na agenda de compromissos.


FM: Quantas cidades já participaram ao longo dos últimos 11 anos?
FR: Desde o início da Restaurant Week Brasil, aproximadamente, 20 cidades já participaram do festival. Em
2018, serão 12 cidades. Vale lembrar que Ribeirão Preto e Campinas são as únicas cidades que não são
capitais e que apresentam edições exclusivas do festival. Antes de levar o nome Ribeirão Preto Restaurant
Week, a cidade já havia participado do festival, mas com o nome São Paulo Restaurant Week. A aceitação
do evento foi tão grande, que decidimos criar a edição exclusiva para Ribeirão.


FM: Vocês monitoram a ajuda que fazem para a ONG escolhida? Qual o motivo de relacionar um evento
como este, com ajuda humanitária?

FR:  quando trouxemos o festival para o Brasil, em 2007, buscávamos uma ação que tivesse caráter
social. As doações acontecem para instituições localizadas na própria cidade e, ao final do evento, os
restaurantes depositam as doações diretamente nas contas bancárias das instituições. A cada menu
vendido, os restaurantes convidam os clientes a doarem R$ 1,00. No almoço, o menu, com entrada, prato
principal e sobremesa sai a R$ 43,90 + R$ 1 de doação (total R$ 44,90). No jantar, o preço é R$ 54,90 + R$ 1
de doação (total R$ 55,90). Em Ribeirão Preto, o Corassol foi a entidade escolhida pela quarta vez
consecutiva para receber as doações.

Sugestões da casa:

 

Entrevistas
3 perguntas para o Rudson, responsável pelo marketing da Colorado em Ribeirão Preto

3 perguntas para o Rudson, responsável pelo marketing da Colorado em Ribeirão Preto

Bar do Urso, João Rock e turismo cervejeiro são os assuntos que conversamos em um bate papo rápido com Rudson Ferdinando, responsável pelo marketing da cervejaria aqui na cidade
02/09/2018
Entrevistas
Bonfim Paulista tem mais do que só uma praça e um coreto. Cervejaria que segue estilo alemão cresce no distrito vizinho de Ribeirão

Bonfim Paulista tem mais do que só uma praça e um coreto. Cervejaria que segue estilo alemão cresce no distrito vizinho de Ribeirão

Entrevistamos Raoni Baliero, gerente comercial da Cervejaria Walfänger, que fica em Bonfim Paulista, no estado de SP.
11/06/2018
Entrevistas
Lenha, carvão e fogo. Entrevistamos Juliano Lourenço, sócio da Churrascada Ribeirão

Lenha, carvão e fogo. Entrevistamos Juliano Lourenço, sócio da Churrascada Ribeirão

“Fogo de verdade, respeito ao animal através do seu aproveitamento total (de cabo a rabo), priorizamos a escolha de animais de qualidade superior entre os mais sérios produtores brasileiros, nossa lenha e carvão são 100% sustentáveis."
02/08/2018
Comente aqui:
Voltar para a página anterior
download edição atual
FAROFA #02
artigos

Bia Amorim

Bia Amorim

Eu não tomo cerveja no copo certo

Bia Amorim

Bia Amorim

Brigando com nossos gostos cervejeiros

Bia Amorim

Bia Amorim

Dias de RIS

Fran Micheli

Fran Micheli

Sobre salsichas e pessoas em conserva

Aline Silva

Aline Silva

5 Reflexões para o seu café, bar ou restaurante

Bia Amorim

Bia Amorim

Aquele arroz doce doido de bom, OMADDM

saiba antes, saiba mais: