Para o topo
Farofa Magazine
Farofa Magazine
página inicial » Comendo fora »

Caótico e surreal: conhecemos o Richmond Night Market em Vancouver

11/07/2018

por: Fran Micheli
Caótico e surreal: conhecemos o Richmond Night Market em Vancouver
Foto: Richmond Night Market / divulgação

Se você planeja curtir o verão em Vancouver, no Canadá, considere conhecer uma pérola da baixa gastronomia mundial e do entretenimento, o Richmond Night Market. É um mercado a céu aberto que acontece aos finais de semana no bairro de Richmond, ocupado, em sua maioria, pela colônia chinesa.

De maneira geral, comidas típicas de vários países, produtos e serviços diversos, parques de diversão e um palco para atrações ao vivo compõem o evento, que começou timidamente em 2000 pela iniciativa do empreendedor chinês Raymond Cheung e hoje é o maior mercado noturno da América do Norte. São 1 milhão de visitantes ao ano. São quase 75 mil m² de confusão, gritaria e um cheiro maravilhoso de comida de rua.

Chegando no mercado

As portas abrem às 19h, mas não pense em chegar muito além disso. A fila para a entrada gratuita é quilométrica e, se você quiser, pode pagar um passe de C$25 (equivalente a R$75) para 6 pessoas. Se estiver sozinho, vale procurar por pessoas na fila dispostas a dividir o valor. Vale muito a pena.

O mercado fica a um quarteirão da Bridgeport Station, então o melhor jeito é ir de metrô. Há também estacionamento gratuito, caso esteja de carro e queira rodar por horas até achar uma vaga.

Ao chegar, uma visão impressionante do lugar completamente lotado e uma banda de crianças no palco tocando Twisted Sister. Começando assim, não tinha como me decepcionar.

Comendo até morrer

O Richmond Night Market é o paraíso da baixa gastronomia mundial. Tudo o que é vendido nas ruas da China, Japão, Tailândia, Canadá, Estados Unidos, México, Espanha, Turquia e até do Brasil está lá, em barraquinhas apertadas e fumacentas. Abaixo, algumas das nossas sugestões.

O buffet  da China

Uma pista completa de iguarias chinesas onde você escolhe o que quer por no prato. A atração principal são os Dim Sum, uma massa recheada, frita ou cozida que fazem o maior sucesso. Por 15 dólares, você come o quanto puder, mas também dá pra comprar os pratos individualmente.

Foto: Fran Micheli

Barba de dragão

Sem dúvida, a comida mais curiosa que experimentamos na feira. O doce, também conhecido como “crina de unicórnio” ou “doce de massa desfiada”, é uma sobremesa feita à base de maltose e mel cozidos que, ao esfriarem, são modelados, esticados e desfiados pela mão do confeiteiro. Tudo é feito na hora e é hipnotizante assistir ao processo! No recheio, amendoins, gergelim e côco seco dão um sabor indescritível. No início, parece que você está mastigando uma estopa, mas o doce vai te conquistando a cada mordida.

Fotos: Fran Micheli

Frutos do mar

Este ano, os frutos do mar ganharam destaque no Richmond Night Market. Como Vancouver é uma grande região fornecedora de frutos do mar de alta qualidade, é possível provar lulas, polvos, mariscos e peixes bem fresquinho e em porções individuais. Opção não falta.

Fotos: Richmond Night Market / Divulgação

Poutine

Uma das comidas mais tradicionais do Canadá, o Poutine é nada além do que batata frita com vários tipos de coberturas. E parece que quanto mais esquisita a combinação, mais sucesso faz. Aqui, temos fritas com cobertura de chocolate, gotas de chocolate e marshmallows tostados. Se quiser provar, boa sorte.

Foto: Fran Micheli

Pastel de feira

Os brasileiros do Whatafood ganharam um espaço especial no Richmond Night Market. Com filas imensas, a barraca de pastel e pão de queijo conquistou gringos e troianos. Na votação popular desenvolvida para que os frequentadores do mercado votem em suas comidas favoritas, o Whatafood ficou em quinto lugar no mês de julho. O pastel vem nos sabores carne, queijo e calabresa e é muito gostoso. Certamente, é o melhor lugar para os brasileiros de Vancouver matarem a saudade de casa.

Foto: Fran Micheli

Traz a bebida que pisca

É interessante ver centenas de pessoas passando por você com drinks exóticos, luminosos e escandalosos. Geralmente são chás gelados, refrescos ou batidas alcoólicas em copos nada discretos. A competição para o drink mais criativo é grande!

Fotos: Richmond Night Market / divulgação

Compras diversas

Além das barracas de comida, é possível comprar meias divertidas, chip de celular, camisetas, ler a mão com uma cartomante, etc. Algo que chama bastante a atenção são as camisetas desse estande da Subliworks. Queria uma do Steve Carell.

Foto: Fran Micheli

Depois de comer mais do que pode, que tal rodar no polvo gigante do parque? Se achar que não é uma boa ideia, uma série de barraquinhas com brincadeiras estilo quermesse está lá para atrair seus dólares. Argola na garrafa, pescaria, tiro ao alvo, boliche e outras modalidades te seduzem com bichos de pelúcia gigantes e fofos de brinde.

Para o passeio, tire pelo menos umas duas horas do seu tempo. Mesmo que saia de lá achando que gastou mais do que deveria, a experiência é única. Mercado assim não se acha em qualquer lugar.

Foto: Fran Micheli

Sugestões da casa:

 

Comendo fora
9 LUGARES PARA CURTIR BOA COMIDA E BEBIDA EM RIBEIRÃO PRETO

9 LUGARES PARA CURTIR BOA COMIDA E BEBIDA EM RIBEIRÃO PRETO

Para quem curte ir a barzinhos, botecos ou está sempre a procura de qualquer lugar legal para comer e beber bem, chame a galera.
03/09/2018
Comendo fora
No meio do canavial, vinho do bom

No meio do canavial, vinho do bom

Desafiando a tradição agrícola do interior de São Paulo, vinícola em Ituverava produz 50 mil garrafas de vinho por ano e atrai turistas aos finais de semana.
04/09/2017
Comendo fora
Cafés da manhã, Nova York e Washington Dc- 226 milhas em 6 xícaras

Cafés da manhã, Nova York e Washington Dc- 226 milhas em 6 xícaras

Lili Ribeiro dá dicas de 6 locais para tomar um bom café da manhã, 5 em Nova York e 1 em Washington D.C.
04/06/2018
Comente aqui:
Voltar para a página anterior
download edição atual
FAROFA #01
artigos

Bia Amorim

Bia Amorim

Brigando com nossos gostos cervejeiros

Bia Amorim

Bia Amorim

Dias de RIS

Fran Micheli

Fran Micheli

Sobre salsichas e pessoas em conserva

Aline Silva

Aline Silva

5 Reflexões para o seu café, bar ou restaurante

Bia Amorim

Bia Amorim

Aquele arroz doce doido de bom, OMADDM

Fred Banionis

Fred Banionis

Assepsia cervejeira

saiba antes, saiba mais: