Para o topo
Farofa Magazine
Farofa Magazine

Assepsia cervejeira

Por: Fred Banionis

14/08/2018
Assepsia cervejeira

Cerveja em casa precisa ser divertido também. Foto: Adam Wilson via Unsplash

Meu pai sempre dizia que no trânsito, devemos dirigir para nós e para os outros. Por isso sempre evitei dirigir perto de carros de auto-escola e aos que chamo de profissionais do trânsito: motoristas de ônibus, táxis, moto-fretistas e etc. Os primeiros por não terem confiança e experiência pra dirigir, os demais por excesso de confiança em manobras arriscadas.

Agora vamos levar isso pro mundo da panela: Participo de vários grupos homebrew nas redes sociais onde muitas fotos me chamam a atenção pelo excesso de zelo na brassagem. O cervejeiro mais parece um médico cirurgião, com direito à touca, máscara e luva descartável. Então paro pra pensar. Como eu faço minhas cervejas sem essas preocupações? Seria eu o taxista das panelas? Cheguei em um ponto onde tenho tanta confiança em minha cerveja que começo a descartar a segurança e me arrisco mais?

Acredito na filosofia chinesa do Tao que prega o equilíbrio. Tudo na vida deve ser feito na medida correta, não devemos cometer excessos mas também não devemos pecar pela falta. Vamos voltar ao caso do trânsito: Todos que já são habilitados devem se lembrar pelo menos vagamente em como eram tensas as aulas antes do exame. Atenção a tudo que está dentro do carro, parece que estamos pilotando uma espaçonave. Botões, alavancas, pedais… Tanta coisa pra gerenciar ao mesmo tempo. Ficamos tensos, suamos frio. Será que vou me lembrar de tudo? Falta alguma coisa? Imagina essa tensão agora pilotando sua panela de brassagem. São tantos detalhes pra checar que falta segurança por ter pouca experiência. Essa tensão toda pode lhe distrair do que realmente importa que é fazer uma boa cerveja. Mas também não devemos nos achar os reis da cocada e acreditar que podemos produzir num quintal com vento jogando folhas pra cima das panelas e comendo um balde de frango frito enquanto mexe o mosto!

Então o que quero deixar aqui é um toque pra que sejamos sempre equilibrados. Nada de vestir um macacão Hazmat pra brassagem, mas manter o equipamento limpinho é importante sim! Nem para o muito nem para o pouco, pois já dizia o saudoso urso Baloo: “Necessário, somente o necessário. Por isso é que essa vida eu vivo em paz!”



Fred Banionis
Fred Banionis
Mais artigos deste autor

Comente aqui:
Voltar para a página anterior
download edição atual
FAROFA #01
artigos

Fran Micheli

Fran Micheli

Sobre salsichas e pessoas em conserva

Aline Silva

Aline Silva

5 Reflexões para o seu café, bar ou restaurante

Bia Amorim

Bia Amorim

Aquele arroz doce doido de bom, OMADDM

Fred Banionis

Fred Banionis

Assepsia cervejeira

Bia Amorim

Bia Amorim

Café, a locomotiva de todos os dias

Aline Silva

Aline Silva

COMO AS REDES SOCIAIS MUDARAM O RELACIONAMENTO DOS RESTAURANTES

saiba antes, saiba mais: